História da Informática

O Dia da Informática foi celebrado em 15 de agosto e embora o PC faça, atualmente, parte do nosso cotidiano, essa realidade é bem recente. Há algumas décadas, os aparelhos eram somente calculadoras imensas, que ocupavam salas inteiras. 

Seu poder de processamento era inexistente se comparado com o que temos nos dias de hoje em gadgets que levamos no bolso. Para comemorar, relembramos a história e a evolução do computador. Em 70 anos, é incrível perceber o quanto essas máquinas mudaram o mundo.

O início de tudo 
Como em qualquer invenção, o primeiro computador teve sua origem em algo preexistente e que já trazia consigo alguns conceitos trabalhados por especialistas anos antes. 
Enquanto Alan Turing é conhecido por seu pioneirismo na ciência da computação, ou da programação em si, foi o engenheiro mecânico Charles Babbage que inventou o primeiro equipamento considerado um computador mecânico, ainda no século XIX. 

1940 - Primeira geração 
Somente nos anos de 1940 que os computadores mecânicos rudimentares dão lugar de vez aos computadores de uso geral, que já usavam algoritmos simples para perfurar cartões e entregar resultados de cálculos complexos aos seus operadores. Nesse 
contexto, a fundação da HP é um marco, tendo apresentado seu popular Oscilador de áudio HP200A, equipamento usado na indústria do cinema pela Disney para produzir efeitos sonoros. 

A chamada Primeira Geração de computadores passa ainda por invenções como o Harvard Mark I, em 1944, usado pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial. Além do SSEC, lançado em 1948 pela IBM, capaz de calcular a posição da Lua utilizando sequência seletiva eletrônica, a máquina ficou famosa por ter sido usada para traçar a rota da Apollo em 1969. 

1950 - Transistores 
A Segunda Geração dos computadores surgiu nos anos 1950 e teve como marca a chegada dos transistores. Com a nova tecnologia, finalmente o computador idealizado por Alan Turing poderia ser construído e comercializado como destaque foi o UNIVAC 1101, um 
equipamento de 12m de comprimento e 6,1m de largura que usava 2700 tubos a vácuo para seus circuitos lógicos. 

A máquina, considerada avançada na época, tinha 38 instruções e uma espécie de memória equivalente a 48 bits. Mais tarde, depois do lançamento de uma série de computadores eletrônicos nos EUA, Inglaterra e Japão, a IBM lança o IBM Strech, a primeira série de mainframes transistorizados da companhia. 

1960 - Microprocessadores 
Algo como a Era de Ouro dos computadores, a década de 1960 trouxe para o mercado os primeiros microprocessadores. A lista começa com o DEC PDP-1, precursor da Terceira Geração, e passa pelo CDC 6600, o mais rápido da época e três vezes mais veloz que o 
Strech da IBM, ele conseguia realizar mais de 3 milhões de instruções por segundo. 

Foi em 1965 que o computador finalmente saiu das grandes salas e se tornou portátil. O primeiro microcomputador vendido com sucesso no mercado foi o DEC PDP-8, um computador de 12 bits cujas dimensões se assemelhavam ao de um frigobar de hoje. A 
fabricante Digital Equipment Corporation, daí a sigla DEC, vendeu mais de 50 mil unidades naquele ano. 

1970 - Microcomputadores 
Graças ao pioneirismo do DEC PDP-8, a Quarta Geração de computadores, nos anos 1970, é conhecida pela avalanche de microcomputadores pessoais, começando pelo Kenback 1, anunciado na revista Scientific American em 1971 e que custava US$ 7 mil. 
Três anos depois, Xerox lançou a primeira estação de trabalho pessoal baseada em microprocessador, e que já tinha entrada para mouse, o Scelbi SH.

Foi nessa década, em 1976, que surgiu o primeiro computador com processamento vetorial de sucesso comercial, construído por Steve Wozniak. Chamado de Cray I inicialmente foi renomeado para Apple I com a fundação da empresa após a entrada de Steve Jobs, no ano seguinte, o Apple II foi um sucesso instantâneo. 

1980 - Quinta Geração 
Com a popularização dos microprocessadores, a década de 1980 foi marcada pelos computadores pessoais, com IBM, Commodore e Compaq se juntando à Apple nesse mercado, o que levou a uma série de inovações. Foi em 1984, por exemplo, que a empresa de Jobs lançou o Macintosh, primeiro computador com interface gráfica vendido comercialmente. 

A década também teve o primeiro computador pessoal a incorporar uma unidade de disco rígido com armazenamento ótico e linguagem orientada a objetos para simplificar a programação. Curiosamente, o pai do projeto também foi Steve Jobs, mas na NeXT, empresa que fundou após sua saída temporária da Apple em 1985. 

1990 - Computadores pessoais 
Foi na década de 1990 que os computadores pessoais se tornaram produto de massa. A Intel entrava no mercado com seu processador Pentium, em 1993, seguido pelo Pentium II, em 1997. A AMD também lançou seu primeiro Athlon no mercado em 1998, que rodava a incríveis 750 MHz.

A década também é conhecida pelos consoles de games com microprocessadores, como o Playstation, lançado pela Sony em 1995. No final da década, a Apple apresentou seu primeiro iMac, computador que unia todos os componentes ao monitor, resultando em um produto extremamente compacto para a época, foi o primeiro All-in-one.

2000 - Computação móvel 
Pode parecer recente para muitos, mas os anos 2000 já são história. Há 12 anos, a canadense RIM lançava o primeiro smartphone do mundo, chamado de Blackberry. O aparelho oferecia sistemas de e-mail e navegação na web, além de conexão móvel. Mas, apesar de todos os lançamentos importantes daquela década, ela será marcada pelo surgimento do iPhone. 

Em 2007, Steve Jobs apresentou o aparelho em um keynote histórico durante a WWDC daquele ano. Era o primeiro smartphone com tela capacitiva sensível ao toque e com sistema operacional avançado, capaz de rodar aplicações complexas, como player de música com animações. Entra também nessa década o lançamento do iPad, 
em 2010, responsável pela criação de uma indústria inteira de tablets, assim como o iPhone fez com os smartphones. 

A computação de bolso está cada vez mais presente nas nossas vidas. De alguns anos para cá, cada vez mais computadores móveis são lançados no mercado, os quais podem ser carregados dentro do bolso, por isso o seu nome. 

Entre estes dispositivos, podemos citar primeiramente os celulares, que cada vez mais executam funções existentes nos computadores, possuindo sistemas operacionais completos. Além deles, Palmtops, pendrives, mp3-9, câmeras fotográficas, tvs 
portáteis. 

Na verdade, a principal tendência do futuro, que já está ocorrendo agora, é a união de muitas funcionalidades em um mesmo aparelho. Por isso, após alguns anos, vai ser muito comum que as pessoas tenham somente um único dispositivo portátil, que irá 
executar todas as tarefas desejadas. O IPhone, da Apple, é o aparelho portátil que se mais aproxima deste dispositivo único. 


Até a próxima...


Fiquem com Deus!